fbpx
exercício vs cafeína

A falta crônica de sono dificulta nossa concentração em tarefas específicas. E, pessoas normais que somos, estamos sempre buscando um paliativo para esta questão da vida moderna. Este paradigma logo traz à mente: exercício vs cafeína – qual é seu melhor aliado contra o cansaço? E faz sentido que busquemos uma maneira de contonar este problema. Vários estudos mostram que a privação do sono tem aproximadamente o mesmo efeito em nossa cognição e coordenação do que algumas bebidas alcoólicas.

O que você faz quando precisa se concentrar, mas está cansado?

Muitos de nós pegamos uma xícara de café ou um refrigerante com cafeína. Montanhas de pesquisas sólidas nos mostraram que a cafeína (em doses que variam entre 30 e 300 miligramas) melhora a atenção, o estado de alerta, o tempo de reação e o humor, especialmente quando estamos cansados. Uma xícara média de café fresco contém entre 80 e 100 miligramas de cafeína; um refrigerante, entre 30 e 60.

exercício vs cafeína

Mas o que talvez não seja muito óbvio ou difundido é que o exercício também funciona para este fim. Isso também é bem estudado e documentado. Mesmo um curto período de qualquer exercício cardiovascular nos acorda, acelera os processos mentais e melhora o armazenamento e a capacidade de recuperação da memória, independentemente de nossos níveis de condicionamento físico ou de fadiga.

Então, quando é o final da tarde e estamos lutando com gráficos ou terminando uma tarefa mentalmente penosa, o que devo fazer: exercícios ou ir tomar um café?

exercício vs cafeína

Um estudo recente (e com uma amostragem relativamente pequena) comparou esses dois métodos de aumento na qualidade e intensidade do foco e concentração. Este estudo bem conduzido usou voluntários saudáveis, mas cronicamente privados de sono, para comparar três intervenções: cafeína, subir escadas e placebo. Eles descobriram que apenas 10 minutos de subir escadas aumentaram os níveis de energia auto-relatados muito mais do que uma dose moderada de cafeína (50 mg). No entanto, este foi um estudo muito pequeno – apenas 18 de 90 mulheres saudáveis em idade universitária preenchiam todos os critérios e estavam dispostas a participar.

Qual o veredito – exercício vs cafeína?

Apesar dos resultados apresentados por este estudo citado acima fazer bastante sentido, achei interessante verificar fontes adicionais para comprovar esta teoria.

Curiosamente, outro estudo analisou os efeitos de exercícios sozinhos ou exercícios físicos mais cafeína em tarefas cognitivas, e descobriu que (talvez previsivelmente) o exercício mais a cafeína tinha o maior benefício.

A cafeína (na forma de café) tem sido bem estudada, e a ingestão regular está associada a menor risco de diabetes tipo 2, pressão alta e obesidade, mas pode aumentar o colesterol. Pode ser protetor contra certos tipos de demência e câncer, mas tem sido associado com perda óssea e artrite reumatóide. Basicamente, existem muitos benefícios, mas parece haver alguns riscos também.

Mas há vários estudos sugerindo que o exercício tem múltiplos efeitos positivos duradouros na aptidão física e função, cognição, humor e comportamento em quase todas as populações estudadas, em todas as idades, níveis de aptidão e independentemente da função cognitiva de base. Alguns dos maiores benefícios foram observados em pacientes idosos, assim como em pacientes com risco ou diagnóstico de demência.

A mensagem que resume este embate? A cafeína pode fornecer um aumento nos níveis de alerta e energia que podem ajudá-lo a pensar mais rápido e melhor – mas somente por algum tempo. Mas mesmo uma pequena dose de exercício pode fazer o mesmo, talvez mais e por mais tempo. Além disso, enquanto a cafeína está associada a bons e maus resultados de saúde, o exercício é bom para tudo.

Fonte: Harvard Health

2 Comments

Dra. Juliana Laraabril 17, 2018 at 12:44 am

Excelente artigo, Dra. Juliana.
Eu particularmente sou fã tanto de café quanto de exercícios físicos. Mas, pelo menos na minha experiência, malhar realmente gera um efeito muito mais duradouro que a cafeína.
Provavelmente vou continuar com o cafezinho simplesmente pelo prazer e hábito. 😉
Obrigada pelas informações!

    Dra. Juliana Laraabril 17, 2018 at 12:44 am

    Também adoro e não dispenso um cafézinho! No final das contas é uma questão de custo-benefício – ambos são válidos e o melhor é combiná-los para obter o melhor efeito de ambos.

 Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Categorias