fbpx

“Por quê sou vegetariana?” – esta é uma das perguntas que mais escuto dos meus pacientes. E não apenas deles, mas geralmente de todas as pessoas que eventualmente conheço ou me relaciono.

Parte da curiosidade vem da dúvida a respeito do que um vegetariano se alimenta. Outras pessoas tendem a se aprofundar mais nas razões psicológicas, demonstrando um sentimento de incompreensão para com uma escolha que enxergam como radical ou excessivamente restritiva. Já outras entendem que os animais existem para servir ao ser humano, e que não haveria razões para deixar de consumi-los já que o seu destino (terminar no prato) já está traçado desde o nascimento.

O vegetarianismo, ou de forma ainda mais intensa o veganismo, são muito mais do que escolhas alimentares. Eles são uma opção de vida, com razões variadas mas interconectadas. Há vários pilares que sustentam esta decisão, e estes fatores têm pesos diferentes para pessoas diferentes.

Na minha prática médica, o número de vegetarianos e veganos vem aumentando consideravelmente, o que me traz muita satisfação pessoal. O mais importante para você que está buscando esta transição ou acompanhando esta decisão consolidada é saber que não apenas é possível fazê-lo de maneira saudável, como os impactos são muito mais positivos do que negativos.

Gosto de resumir as razões para adoção do vegetarianismo e do veganismo em duas vertentes:

  • Ética/sustentabilidade
  • Saúde

Ética/Sustentabilidade

cachorro enjaulado

Os animais são seres sencientes. Isso significa que eles possuem sentimentos, e não apenas padrões regidos pelo instinto. É instintivo sentir calor, frio, sono, fome… Mas os animais transcendem isso, e assim como nós sentem alegria, lealdade, prazer, tristeza, tédio, e muitos dos sentimentos que ironicamente utilizamos para explicar que “somos humanos”.

Biologicamente, uma série de fatores confluíram para que nos tornássemos a espécie mais bem sucedida do planeta Terra. No entanto, fazemos péssimo uso deste sucesso evolutivo, progressivamente exaurindo os recursos naturais que permitem nossa subsistência e seletivamente escravizando animais para serem consumidos, quando os recursos utilizados para isso são dezenas de vezes mais intensos do que se simplesmente adotássemos uma dieta baseada no consumo de plantas.

Litros de água gastos para produzir 1 kg de alimento ou produto

O consumo de água, por exemplo, é um dos fatores que chamam a atenção no processo de produção alimentar. Enquanto para produzir 1 kg de carne de boi para consumo utilizamos 15.415 litros de água, consumimos apenas 1.644 litros para produzir 1 kg de cereais, ou 962 litros para produzir 1 kg de frutas, e menos ainda – 322 litros para produzir 1 kg de vegetais.

Ser vegetariano significa quebrar este ciclo, e combater de maneira prática a destruição de nosso planeta. Isso é feito de maneira respeitosa para com os outros seres que co-habitam o planeta, sem causar dor, sofrimento e morte.


Saúde

A alimentação vegetariana é mais saudável?

A alimentação vegetariana pode ou não ser mais saudável que a alimentação que inclui carne. O que determina se uma dieta é saudável ou não é sua capacidade de nos nutrir de maneira completa, com adequada ingestão de todos os macro e micronutrientes necessários para o bom funcionamento de nosso metabolismo.

Há, no entanto, evidências documentais derivadas de inúmeros estudos científicos – cada vez mais freqüentes e publicados por instituições idôneas – que o consumo de carnes está diretamente associado ao risco aumentado de doenças crônicas e degenerativas como diabetes, obesidade, hipertensão, além de alguns tipos de câncer.

No entanto, não há absolutamente nenhuma dúvida de que a dieta vegetariana é mais ética.

Sabedores do fato de que é possível nos alimentar de maneira completa sem dor e sofrimento de outros seres, por quê não dar uma chance à alimentação vegetariana? Reduzir o consumo de carne já traz muitos dos benefícios referentes à saúde.


Como Me Tornei e Por Quê Sou Vegetariana?

Por quê sou vegetariana? - Dra. Juliana Lara

Meus pais não são vegetarianos, nem tampouco possuem qualquer tipo de simpatia pela causa. Desta forma, aprendi aos poucos sobre esta filosofia, primeiro de maneira intuitiva e depois consciente. Inicialmente, abandonei o consumo de carne vermelha e frango, a etapa de transição mais fácil para mim por já não gostar do sabor. Depois, sensibilizada pelas questões ambientais e éticas, me senti pronta para o próximo passo – deixar de comer peixes e frutos do mar. Ainda consumo derivados de ovos e leites, não por necessidade nutricional ou fisiológica, mas por ainda estar em um processo de transição. Julgo que ser vegano no Brasil ainda é muito difícil devido às restrições mercadológicas, mas creio que com o aumento das pessoas envolvidas nesta causa a tendência é que isso se torne cada vez mais fácil.

Mas, sem sombra de dúvidas, o mais importante para mim é o amor aos animais. A pureza e bondade infinitas destes seres sempre me cativaram, e seu papel como nossos companheiros e professores é uma causa que tenho prazer em defender. Entendendo que todos os seres são dignos de direitos, poderemos nos tornar uma espécie melhor e capaz de amar de verdade uns aos outros.

Finalmente, entendo o medo que as pessoas têm de abandonar o que entendem ser alimentos deliciosos feitos a partir de carne. Como venho de uma família que aprecia intensamente os prazeres da cozinha, nunca deixei de comer bem por ter me tornado vegetariana. Pelo contrário: as possibilidades abertas por esta escolha são infinitas! Não apenas é perfeitamente possível ser vegetariana e comer bem, como na minha opinião até facilita. O contato com opções culinárias mais conscientes e que não são derivadas de animais trazem o mundo dos alimentos para mais perto de nós. Restaura-se também o caminho para o melhor e mais natural remédio que podemos fazer uso – os alimentos.


Minha principal dica para quem quer ser vegetariano ou vegano

A dificuldade imposta pela escassez de alimentos prontos acaba empurrando o vegetariano/vegano para um “bom” problema – a necessidade de ir para a cozinha. Ao abrir esta porta, torna-se claro que não é tão difícil assim, e que abrindo mão de alimentos pré-preparados podemos comer melhor e de maneira mais saudável. Hoje em dia diversos recursos estão disponíveis para aprendermos a cozinhar e nos alimentar melhor. A minha preferida é a Tati Lundi do Comida.ORG (programa apresentado no GNT), mas há opções para todos os gostos.

Portanto, mãos à obra! Não deixe que sua escolha seja uma limitação – basta ampliar seus horizontes e buscar com boa vontade novas e melhores maneiras de se alimentar.


Links recomendados para saber mais sobre o vegetarianismo:


Vídeos recomendados sobre o vegetarianismo e opções alimentares éticas e saudáveis:


Caso você deseje agendar uma consulta, ficarei honrada em poder te auxiliar! Peço para que verifique os seguintes link para saber mais informações sobre mim: