Chances de Desenvolver Diabetes Tipo 1

Um grupo de pesquisa internacional liderado por cientistas da Helmholtz Zentrum München desenvolveu um novo método para calcular logo no nascimento as chances de desenvolver diabetes tipo 1, significativamente superior aos métodos disponíveis até então. Analisando até 41 locus gênicos, é possível identificar crianças que ao nascer têm pelo menos 25 vezes mais probabilidade de desenvolver o diabetes tipo 1. Este teste já está sendo utilizado em um projeto de prevenção do diabetes tipo 1 em toda a Europa. O trabalho, publicado na revista PLOS Medicine, também pode servir futuramente de modelo para analisar e prevenir outras doenças que estão associadas à múltiplos genes.

Em um estudo prospectivo, uma equipe de pesquisadores liderada pelo professor Ezio Bonifacio do Centro de Terapias Regenerativas da DFG em Dresden, Andreas Beyerlein e a professora Anette-Gabriele Ziegler (tanto na Helmholtz Zentrum München e Klinikum Rechts der Isar da Universidade Técnica de Munique) e o Diabetes Study Group (Forschergruppe Diabetes eV), juntamente com colegas do Reino Unido, Suécia, Finlândia, Canadá e Estados Unidos, determinaram scores de risco derivados de 41 locus gênicos associados ao risco de diabetes tipo 1. Eles usaram dados de mais de 3.000 crianças no estudo TEDDY* que não têm parentes com diabetes tipo 1. “Com essas pontuações de risco, podemos identificar crianças que têm mais de 10% de risco de desenvolver diabetes tipo 1 pré-sintomático no sexto aniversário”, explica Ezio Bonifacio. “Isso significa um risco aumentado em pelo menos 25 vezes em comparação com a média da população. O processo é, portanto, significativamente superior aos métodos anteriores.”

O teste já está sendo usado em um grande estudo clínico sobre a prevenção do diabetes tipo 1. Como parte do estudo, os pais que moram nas regiões da Baviera, Baixa Saxônia e Saxônia podem ter seu bebê testado para risco de diabetes tipo 1 na maternidade ou durante uma das primeiras visitas pediátricas gratuitas. Hospitais e institutos de pesquisa na Suécia, Reino Unido, Polônia e Bélgica também estão participando. No total, os cientistas esperam testar mais de 300 mil bebês nos próximos anos. Crianças encontradas em risco podem ser inscritas em um estudo que visa prevenir o desenvolvimento de diabetes tipo 1. “É em grande parte graças ao método analítico aperfeiçoado que foi possível lançar um projeto de prevenção em grande escala”, diz Anette-Gabriele Ziegler. “Esperamos que este modelo também possa ser aplicado a outras doenças auto-imunes da infância no futuro”.

* TEDDY (Determinantes Ambientais do Diabetes nos Jovens) investiga fatores que contribuem para o desenvolvimento do diabetes tipo 1. Cientistas trabalhando em seis centros de pesquisa clínica nos EUA, Finlândia, Suécia e Alemanha estão acompanhando mais de 8.000 crianças com genes de risco para diabetes tipo 1 desde o nascimento até os 15 anos de idade. TEDDY é financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças e a Fundação de Pesquisa em Diabetes Juvenil.

Fonte: https://endocrinenews.endocrine.org/researchers-report-improved-assessment-of-the-genetic-risk-of-type-1-diabetes/

Não deixe de conferir também nosso artigo explicando o que é e como abordar o Pré Diabetes.

 Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Categorias