Tipos de Diabetes Mellitus: Um Guia Completo para Compreender as Diferenças entre Tipo 1, Tipo 2 e Gestacional

Tipos de Diabetes Mellitus: Um Guia Completo para Compreender as Diferenças entre Tipo 1, Tipo 2 e Gestacional

Tipos de Diabetes Mellitus

Se você está se perguntando se seus sintomas batem com os de diabetes, este guia é para você. Como endocrinologista e nutróloga, vou te ajudar a entender os diferentes tipos de Diabetes Mellitus: Tipo 1, Tipo 2 e a Diabetes Gestacional. Em cada seção, vamos explorar os sintomas, as causas e as possíveis formas de gerenciamento para cada tipo.

Juliana Lara – Doctoralia.com.br

Diabetes Mellitus é uma doença metabólica que se caracteriza por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue. A glicose é a principal fonte de energia do nosso corpo e nós obtemos ela através dos alimentos que consumimos. Quando você tem diabetes, seu corpo ou não produz insulina suficiente, ou não pode usar sua própria insulina tão bem quanto deveria. Isso faz com que a glicose se acumule em seu sangue, em vez de se mover para as células.

Aproximadamente 1 em cada 4 pessoas com diabetes não sabe que tem a doença. Isto faz com que esta enfermidade seja a principal causa de insuficiência renal, cegueira e amputações não traumáticas de membros inferiores em adultos. Estima-se que o diabetes seja responsável por cerca de 4 milhões de mortes por ano em todo o mundo.

Existem três tipos principais de diabetes: tipo 1, tipo 2 e gestacional. 

“O diabetes é uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente ou quando o corpo não consegue usar eficazmente a insulina que produz” – Organização Mundial da Saúde

Entender a diferença entre esses tipos de diabetes pode parecer confuso no início, mas cada um tem seus próprios sintomas, causas e fatores de risco. Vamos explorá-los mais detalhadamente a seguir.

Como o Diabetes Mellitus é diagnosticado?

O diagnóstico da diabetes é feito através de exames de sangue que medem os níveis de glicose no sangue. A diabetes gestacional é um tipo de diabetes que ocorre durante a gravidez e geralmente desaparece após o parto.Complicações da diabetes mellitus incluem doenças cardiovasculares, neuropatia, retinopatia e nefropatia.São considerados diagnósticos positivos os seguintes resultados: 

  • Um exame de glicose plasmática em jejum que resulta em um nível de glicose igual ou superior a 126 mg/dL em duas ocasiões diferentes.
  • Um teste de tolerância à glicose oral que resulta em um nível de glicose igual ou superior a 200 mg/dL duas horas após a ingestão de uma solução de glicose.
  • Um exame de hemoglobina glicada (A1C) que resulta em um valor igual ou superior a 6,5%.
  • Um nível de glicose igual ou superior a 200 mg/dL em um exame de sangue aleatório, juntamente com sintomas de hiperglicemia (aumento do açúcar no sangue), como sede excessiva, urinação frequente e fadiga.

Os diferentes tipos de diabetes mellitus incluem o diabetes tipo 1, diabetes tipo 2 e diabetes gestacional, cada um com suas próprias características e desafios únicos. 

“Uma compreensão clara do tipo de diabetes que uma pessoa tem é essencial para o gerenciamento eficaz da doença e para evitar ou retardar as complicações.”

Cada tipo de diabetes e o que é Diabetes Mellitus será abordado em detalhes nas seções seguintes.

Diabetes mellitus tipo 1: causas, sintomas e tratamento

Quando falamos em Diabetes Mellitus Tipo 1, estamos nos referindo a uma doença crônica que ocorre quando o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina, um hormônio que regula os níveis de açúcar no sangue. Este tipo de diabetes geralmente se desenvolve na infância ou adolescência, mas também pode aparecer em adultos. É por isso que algumas vezes é chamada de diabetes juvenil. 

As causas do diabetes tipo 1 ainda não são totalmente compreendidas, mas acredita-se que tenha um componente genético e que fatores ambientais, como vírus, podem desencadear a doença. O sistema imunológico do próprio corpo ataca e destrói as células do pâncreas que produzem insulina. 

Os sintomas do diabetes tipo 1 podem surgir rapidamente, em questão de semanas, e incluem: 

  • Sede excessiva
  • Frequente necessidade de urinar
  • Fome constante
  • Perda de peso inexplicada
  • Fadiga
  • Visão embaçada

Se você está experimentando esses sintomas, é importante consultar um médico para um diagnóstico de diabetes mellitus adequado. O tratamento para diabetes tipo 1 envolve a administração regular de insulina, um plano de alimentação saudável, atividade física regular e monitoramento constante dos níveis de açúcar no sangue. 

O diabetes tipo 1 é mais comum em crianças e jovens adultos. Por isto, é fundamental que as pessoas com diabetes tipo 1, e suas famílias, recebam educação e apoio adequados para gerenciar a doença de forma eficaz. A automonitorização dos níveis de açúcar no sangue é uma parte crucial deste processo, e o acompanhamento próximo de um endocrinologista ajuda a mitigar os efeitos colaterais e eventuais complicações.

Diabetes mellitus tipo 2: causas, sintomas e tratamento

A Diabetes mellitus tipo 2 é uma doença metabólica complexa, caracterizada pelo excesso de açúcar no sangue. Seu aparecimento está ligado a fatores genéticos e a hábitos de vida não saudáveis, como sedentarismo e alimentação inadequada.

Causas 

Na diabetes tipo 2, o corpo produz insulina, mas as células não respondem a ela de maneira eficaz. Isso é conhecido como resistência à insulina. Como resultado, o açúcar se acumula na corrente sanguínea em vez de ser absorvido pelas células. 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% dos casos de diabetes no mundo são do tipo 2, em grande parte devido ao excesso de peso e à inatividade física.

Sintomas 

Os sintomas da diabetes tipo 2 podem ser sutis e demorar anos para aparecer. Eles incluem: 

  • Sensação constante de fome
  • Fadiga
  • Visão embaçada
  • Cicatrização lenta de feridas
  • Infecções frequentes

Tratamento 

O tratamento para a diabetes tipo 2 é baseado em uma combinação de mudanças de estilo de vida, medicamentos e, em alguns casos, insulina. A meta é manter os níveis de açúcar no sangue dentro de uma faixa normal e prevenir complicações. 

  • Mudanças no estilo de vida: Incluem dieta saudável, exercícios físicos regulares e perda de peso.
  • Medicamentos: Podem ser utilizados sozinhos ou em combinação para ajudar o corpo a usar insulina de maneira mais eficaz.
  • Insulina: Pode ser necessária em alguns casos em que os medicamentos orais não são suficientes para controlar os níveis de açúcar no sangue.

Se você suspeita que tem diabetes, é importante procurar um médico. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado podem prevenir ou retardar complicações sérias, como doenças cardíacas e renais, e perda de visão.

Diabetes mellitus gestacional: causas, sintomas e tratamento

Diabetes mellitus gestacional refere-se a um aumento nos níveis de açúcar no sangue durante a gravidez. Esta condição afeta aproximadamente 7% de todas as gravidezes e geralmente aparece na metade do segundo trimestre. Mas, o que causa o diabetes gestacional, quais são os sintomas e como ele é tratado? Vamos abordar essas questões em detalhes. 

 Causas 

 Durante a gravidez, seu corpo produz hormônios para apoiar o crescimento e desenvolvimento do feto. Alguns desses hormônios podem levar à resistência à insulina, uma condição em que as células do corpo não respondem normalmente à insulina. Isso pode resultar em altos níveis de glicose no sangue, levando ao diabetes gestacional. 

 Sintomas 

 A maioria das mulheres com diabetes gestacional não apresenta sintomas notáveis. É por isso que os testes de glicose no sangue são uma parte importante do cuidado pré-natal. No entanto, em alguns casos, as mulheres podem experimentar: 

  • Aumento da sede
  • Urinar mais frequentemente
  • Fadiga
  • Náusea e vômitos
  • Infecções frequentes do trato urinário

 Tratamento 

 O tratamento para o diabetes gestacional visa manter os níveis de açúcar no sangue dentro dos limites normais. Isso pode incluir: 

  1. Fazer mudanças na dieta: Uma dieta saudável e equilibrada pode ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue. Isso pode incluir a limitação de carboidratos simples e o aumento dos alimentos integrais e ricos em fibras.
  2. Exercitar-se regularmente: A atividade física regular pode ajudar a manter os níveis de açúcar no sangue sob controle.
  3. Monitorando os níveis de açúcar no sangue: Medir regularmente os níveis de açúcar no sangue pode ajudar a garantir que eles permaneçam dentro do intervalo desejado.
  4. Tomar medicação, se necessário: Em alguns casos, a medicação pode ser necessária para ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue.

“O diabetes gestacional pode ser gerenciado e a maioria das mulheres que têm um bom controle de seus níveis de glicose no sangue podem ter uma gravidez saudável e um bebê saudável” – American Diabetes Association.

 É importante lembrar que, embora o diabetes gestacional possa ser sério, a detecção precoce e o tratamento adequado podem ajudar a garantir uma gravidez saudável. Fale com seu médico se você estiver preocupada com o diabetes gestacional. 

Juliana Lara – Doctoralia.com.br

Fatores de risco para desenvolver diabetes mellitus

Se você está preocupado com a possibilidade de desenvolver algum dos tipos de diabetes mellitus, é importante entender os fatores de risco para essa condição. Alguns desses fatores estão sob seu controle, enquanto outros não podem ser alterados. No entanto, estar ciente desses fatores de risco pode ajudá-lo a tomar medidas para reduzir suas chances de desenvolver diabetes. 

Fatores de Risco para Diabetes Tipo 1 

As causas exatas do diabetes tipo 1 são desconhecidas. No entanto, existem alguns fatores de risco identificados que podem aumentar a probabilidade de desenvolver esta doença. Eles incluem: 

  • Idade: Embora possa se desenvolver em qualquer idade, o diabetes tipo 1 ocorre mais frequentemente em crianças e adolescentes.
  • Genética: Ter um parente próximo com diabetes tipo 1 aumenta o risco.
  • Aspectos autoimunes: Algumas condições autoimunes, como a doença celíaca ou a tireoidite de Hashimoto, podem aumentar o risco de diabetes tipo 1.

Fatores de Risco para Diabetes Tipo 2 

O diabetes tipo 2 tem uma gama mais ampla de fatores de risco. Alguns dos mais comuns incluem: 

  • Excesso de peso: O risco de diabetes tipo 2 aumenta se você tem excesso de peso ou obesidade.
  • Idade: O risco aumenta à medida que você envelhece, especialmente após 45 anos.
  • Dieta e atividade física: Uma dieta pobre e um estilo de vida sedentário aumentam o risco de diabetes tipo 2.
  • Resistência à insulina: Ter resistência à insulina pode levar ao desenvolvimento de diabetes tipo 2.

Fatores de Risco para Diabetes Gestacional 

Os fatores de risco para o diabetes gestacional são diferentes dos outros dois tipos. Eles incluem: 

  • Idade: As mulheres mais velhas têm maior risco.
  • Excesso de peso: O risco de diabetes gestacional é maior em mulheres que têm excesso de peso ou são obesas.
  • Antecedentes familiares: Ter um parente próximo com diabetes tipo 2 aumenta o risco de diabetes gestacional.
  • Gravidez anterior com diabetes gestacional: Se teve diabetes gestacional em uma gravidez anterior, o risco de desenvolver novamente é maior.

É importante lembrar que ter um ou mais desses fatores de risco não significa que você desenvolverá diabetes, mas significa que você deve ser mais vigilante em monitorar sua saúde e adotar um estilo de vida saudável. Consulte regularmente seu médico e, se tiver sintomas sugestivos de diabetes, procure atendimento médico imediatamente.

Tabela Comparativa: Diabetes Tipo 1, Tipo 2 e Gestacional 

Abaixo, apresentamos uma tabela comparativa entre os tipos de diabetes mellitus: tipo 1, tipo 2 e gestacional. Cada tipo de diabetes tem suas próprias características e fatores de risco. Vamos analisar cada um deles: 

Tipo de DiabetesCaracterísticasFatores de Risco
Diabetes Tipo 1O corpo não produz insulina. Geralmente aparece na infância ou adolescência, mas pode ser diagnosticada em adultos.Fatores genéticos, doenças autoimunes, exposição a certos vírus.
Diabetes Tipo 2O corpo não usa insulina corretamente, também conhecida como resistência à insulina. É o tipo mais comum de diabetes.Obesidade, idade avançada, histórico familiar de diabetes, sedentarismo, dieta inadequada.
Diabetes GestacionalOcorre em mulheres durante a gravidez. Geralmente, desaparece após o parto, mas pode ser um sinal de risco para o desenvolvimento de diabetes tipo 2 no futuro.Idade acima de 25 anos, histórico familiar de diabetes, obesidade, síndrome dos ovários policísticos, ganho excessivo de peso durante a gravidez.

Complicações comuns da diabetes mellitus

O diabetes mellitus, se não for controlado, pode levar a várias complicações graves. As altas taxas de glicose no sangue podem danificar os nervos, os vasos sanguíneos, o coração e outros órgãos importantes do corpo, levando a uma variedade de problemas. Aqui estão algumas das complicações mais comuns: 

  • Doença cardiovascular: O diabetes aumenta significativamente o risco de várias condições cardiovasculares, incluindo doença arterial coronariana, ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e estreitamento das artérias.
  • Neuropatia diabética: O excesso de açúcar pode danificar as paredes dos pequenos vasos sanguíneos que alimentam seus nervos, especialmente nas pernas, causando formigamento, dor, dormência ou fraqueza.
  • Retinopatia diabética: O diabetes pode danificar os vasos sanguíneos da retina, levando à cegueira.
  • Insuficiência renal: O diabetes pode danificar os delicados sistemas de filtração dos rins, levando à insuficiência renal ou doença renal em estágio terminal.

É crucial ter em mente que o controle eficaz do açúcar no sangue, juntamente com uma alimentação saudável e exercícios regulares, pode prevenir ou retardar essas complicações do diabetes mellitus.

Diabetes mellitus e a relação com outras doenças

O diabetes mellitus é uma condição de saúde crônica que pode ter implicações significativas para outras áreas da sua saúde. Como endocrinologista e nutróloga, é importante salientar o impacto potencial que o diabetes pode ter no seu corpo e na sua vida. Hoje, vamos explorar algumas das principais doenças que estão associadas ao diabetes mellitus. 

Doenças Cardiovasculares 

Se você tem diabetes, seu risco de desenvolver doenças cardiovasculares é significativamente maior. Isso inclui condições como doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca e derrame. O diabetes faz com que os níveis de açúcar no sangue aumentem, o que pode danificar os vasos sanguíneos e levar à formação de placas que bloqueiam o fluxo de sangue. 

Neuropatia Diabética 

A neuropatia diabética é uma condição nervosa causada por diabetes a longo prazo. Os altos níveis de açúcar no sangue podem danificar os nervos em todo o corpo, resultando em uma série de sintomas, incluindo dor, formigamento e perda de sensação. 

Doença Renal Diabética (Nefropatia) 

A doença renal diabética é outra complicação comum do diabetes. O excesso de açúcar no sangue pode danificar os pequenos vasos sanguíneos nos rins, afetando sua capacidade de filtrar os resíduos do sangue. Com o tempo, isso pode levar à insuficiência renal. 

Doença Ocular Diabética 

Os olhos também podem ser afetados pelo diabetes. O excesso de açúcar no sangue pode danificar os vasos sanguíneos da retina, o que pode resultar em uma condição chamada retinopatia diabética. Além disso, o diabetes aumenta o risco de outros problemas oculares, como catarata e glaucoma. 

“A associação entre diabetes e outras doenças crônicas é bem estabelecida na literatura médica. É crucial que os pacientes com diabetes estejam cientes destas associações e tomem medidas para gerenciar seu diabetes e monitorar sua saúde em geral.” – Journal of the American Medical Association

É importante lembrar que o gerenciamento eficaz do diabetes pode ajudar a reduzir o risco de desenvolver essas condições de saúde. Isso inclui manter os níveis de açúcar no sangue sob controle, comer uma dieta saudável, fazer exercícios regulares e seguir todas as orientações do seu médico.

Juliana Lara – Doctoralia.com.br

Prevenção de diabetes mellitus: alimentação e estilo de vida saudáveis

Você pode se perguntar: “Como posso prevenir os diferentes tipos de diabetes mellitus?”. A resposta para essa pergunta é, de fato, mais simples do que parece. Um estilo de vida saudável é a chave para a prevenção de muitas doenças, incluindo o diabetes mellitus. Vamos ver quais são os principais componentes de um estilo de vida saudável. 

Alimentação Saudável 

É crucial manter uma dieta equilibrada para prevenir o diabetes mellitus. Aqui algumas dicas: 

  • Limitar o consumo de açúcares simples: Alimentos ricos em açúcar simples, como refrigerantes e doces, podem levar a um aumento rápido nos níveis de glicose no sangue, o que pode aumentar o risco de diabetes mellitus.
  • Aumentar a ingestão de fibras: A fibra pode ajudar a regular os níveis de açúcar no sangue, reduzindo o risco de diabetes. Inclua em sua dieta alimentos como frutas, vegetais e cereais integrais.
  • Escolher alimentos com baixo índice glicêmico: Alimentos com baixo índice glicêmico liberam glicose lentamente no sangue, ajudando a evitar picos de glicose no sangue.

Estilo de Vida Saudável 

Além da alimentação, é essencial manter um estilo de vida saudável para prevenir o diabetes mellitus. Veja alguns pontos importantes: 

  • Prática regular de exercícios físicos: A atividade física regular ajuda a manter um peso saudável e a regular os níveis de glicose no sangue, reduzindo o risco de diabetes mellitus.
  • Mantenha um peso saudável: Estar acima do peso ou obeso aumenta o risco de desenvolver diabetes mellitus. Portanto, é essencial manter um peso saudável.
  • Evite o tabagismo: Fumar pode aumentar o risco de várias doenças, incluindo diabetes mellitus.

Segundo um estudo publicado no periódico “British Medical Journal”, “uma combinação de dieta saudável, atividade física regular, manutenção de um peso corporal normal e evitação do tabagismo poderia prevenir a grande maioria dos casos de diabetes tipo 2”.

Em resumo, a prevenção do diabetes mellitus é fortemente vinculada a um estilo de vida saudável e uma alimentação equilibrada. A chave é fazer escolhas saudáveis diariamente e, se necessário, procurar o apoio de um profissional de saúde para orientações e acompanhamento.

A importância da educação sobre os tipos de diabetes mellitus

É crucial intensificar as campanhas educativas e informativas sobre o diabetes mellitus, sobretudo em escolas e locais de trabalho. Por meio de palestras, distribuição de panfletos informativos e a criação de programas de saúde focados na prevenção e controle do diabetes, é possível aumentar a consciência da população sobre esta doença crônica. Essas medidas tem o potencial de levar ao diagnóstico precoce e ao tratamento mais eficaz, melhorando assim os resultados de saúde e a qualidade de vida dos indivíduos afetados.

Em 2019, o Ministério da Saúde lançou a campanha ‘Todos Juntos Contra o Diabetes’, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença.Além disso, existem diversas organizações e instituições que promovem campanhas educacionais sobre o diabetes, como a Sociedade Brasileira de Diabetes e a Associação Nacional de Atenção ao Diabetes.É importante ressaltar que as campanhas educacionais sobre o diabetes devem ser contínuas e abrangentes, para que a população possa ter acesso a informações atualizadas e precisas sobre a doença.

Conclusão

Esperamos que este guia tenha sido útil para entender um pouco mais sobre os diferentes tipos de diabetes mellitus. Se você identificou alguns dos sintomas mencionados aqui, não hesite em buscar ajuda médica. Lembre-se, quanto mais cedo o diagnóstico, melhores as chances de gerenciar a condição de forma eficaz. 

Fazer um acompanhamento com um endocrinologista é essencial para um tratamento de sucesso. Portanto, se você está se sentindo inseguro, lembre-se que não está sozinho! Estou aqui para te ajudar. Cuide de sua saúde. Você merece!

Juliana Lara – Doctoralia.com.br
Dra. Juliana Lara

Dra. Juliana Lara

Médica especialista em Endocrinologia (IEDE) e Nutrologia (ABRAN).

Todos os posts

Está gostando do conteúdo? Compartilhe.

O que procura?

Categorias

Sou médica há 12 anos,
com especializações em Endocrinologia, Nutrologia
e extensão em Fitoterapia.
Busco aliar rigor científico
a um olhar atento às
particularidades de cada
paciente, sempre com a
saúde holística em
primeiro lugar.

Se cadastre na nossa lista para receber conteúdos exclusivos.

Me siga no Instagram!

Conecte-se comigo no Linkedin!

Curta a minha página no Facebook!

Contato

Dra. Juliana Lara – CRM 182390/SP
(11) 91708-1627 | (11) 2680-2888
contato@drajulianalara.com

Horários

Seg. Fechado
Ter. 14:00 – 17:00
Qua. Fechado
Qui. 14:00 – 17:00
Sex. Fechado
Sáb. e Dom Fechado

Localização

Alameda Grajaú, 60 – Sala 907
Alphaville, Barueri – SP, 06454-050

O que procura?

Categorias

Sou médica há 12 anos,
com especializações em Endocrinologia, Nutrologia
e extensão em Fitoterapia.
Busco aliar rigor científico
a um olhar atento às
particularidades de cada
paciente, sempre com a
saúde holística em
primeiro lugar.

Se cadastre na nossa lista para receber conteúdos exclusivos.

Me siga no Instagram!

Conecte-se comigo no Linkedin!

Curta a minha página no Facebook!

Horários

Seg. Ter. e Qua. 14h às 18h
Qui. 13h30 às 18h30
Sex. 14h às 18h
Sáb. e Dom Fechado

Localização

Alameda Grajaú, 60 – Sala 907
Alphaville, Barueri – SP, 06454-050

Dra. Juliana Lara © 2021. Todos os Direitos Reservados.